top of page

Conheça os pontos relevantes para entender o planejamento patrimonial

No campo do Direito de Família, o planejamento patrimonial é um assunto que levanta muitas dúvidas entre os interessados. Isso acontece porque essa estratégia legal oferece várias possibilidades e vantagens que podem variar dependendo dos instrumentos utilizados em cada situação.

É crucial notar que o planejamento patrimonial é uma escolha, o que o distingue de muitos outros assuntos relacionados ao direito de família. Portanto, mesmo sendo vantajoso, muitas pessoas e famílias precisam considerar se é o momento certo para iniciar essa estratégia.

Embora possa parecer complicado, com um pouco de entendimento é possível desmistificar e superar o receio de dar esse passo, que pode resultar em economia e eficiência na transferência de bens familiares entre gerações - mesmo que não sejam tão substanciais como muitos imaginam ao pensar em planejamento patrimonial.

Neste artigo, vamos destacar algumas das características principais do planejamento patrimonial, tanto do ponto de vista técnico quanto na decisão de quando e como implementar essa estratégia para sua família. Além disso, se desejar uma avaliação personalizada da sua situação, não hesite em nos contatar.

O que é planejamento patrimonial afinal? É o conjunto de instrumentos jurídicos utilizados para organizar, de forma estratégica e antecipada, a transferência de patrimônio de uma pessoa para seus herdeiros enquanto ainda está viva. Isso contrasta com a ideia tradicional de que a transferência ocorre apenas após a morte, trazendo benefícios práticos para os herdeiros.

Há impostos e processos de inventário que podem se prolongar, criando complicações. O planejamento patrimonial visa contornar essas questões, reduzindo as complicações e garantindo fluidez a longo prazo.

Quais são as vantagens do planejamento patrimonial? Ele reduz os custos do inventário, evita conflitos familiares, diminui os impostos, acelera os processos judiciais e evita a inacessibilidade aos bens.

Quais são os principais instrumentos utilizados? Testamento, doação, holding e previdência privada são os mais comuns. O testamento, por exemplo, permite definir antecipadamente a distribuição da parte disponível da herança, agilizando a distribuição dos bens importantes. #PlanejamentoPatrimonial

10 visualizações0 comentário