top of page

Como se proteger da crise e evitar a falência da empresa

Dentre os mais diversos medos dos empresários, o maior deles, com certeza, é a falência.


Esse medo aumentou muito durante a Pandemia do COVID-19, por ter sido um momento extremamente atípico para a economia brasileira. Inclusive, por essa razão, diversas empresas encerraram suas atividades em 2020.


Entre os motivos para isso estão a falta de planejamento, a confusão entre os rendimentos da empresa e dos sócios, e encargos oriundos de condenações em ações trabalhistas.


Mas afinal, o que é falência?


Instituída pela Lei nº 11.101/2005, trata-se de um instituto do Direito Empresarial, que consiste resumidamente no processo de paralisação das atividades de uma empresa insolvente, ou seja, que possui prestações a cumprir superiores aos seus rendimentos.


Para isso, o devedor será afastado de suas atividades empresariais, a fim de evitar maiores prejuízos e saldar as dívidas causadas geralmente pela má administração da empresa.


Mas, mesmo com a absoluta certeza de que nenhum empresário deseja a falência de seu negócio, você sabe por quais motivos isso acontece?


Infelizmente, não basta ter vontade de empreender, a empresa precisa ter planejamento jurídico, patrimonial e financeiro.


A crise econômica, o alto índice de concorrência no mercado e principalmente a má gestão dos negócios, faz com que a empresa entre em um processo de endividamento, o que coloca em jogo sua saúde financeira.


Em outras palavras, grande parte dos empreendedores brasileiros não possui planejamento de despesas, receitas e investimentos, tampouco gerenciam seu fluxo de caixa. Muitos empresários utilizam o lucro integral do negócio como seu salário, sem estipular qualquer reserva financeira, e é aí que mora o perigo.


Então, o que posso fazer para evitar a falência? Primeiro, você precisa planejar seus investimentos, pois, no mundo dos negócios, não convém “dar um passo maior que a perna”.


Uma vez que a empresa cresce, existem diversas estratégias de expansão do seu negócio, como a criação de uma filial, por exemplo, o que pode ser muito positivo, se sua empresa tiver uma boa gestão financeira.


Caso contrário, é válido se questionar qual será o retorno deste passo para a empresa, bem como se será necessário aderir a outras fontes para concretizá-lo, como um empréstimo, por exemplo. Uma dica de ouro neste caso é pesquisar as taxas de juros oferecidas pelos bancos, uma vez que não são todas iguais.


Outro ponto importante, é que você PRECISA estar atento às finanças do seu negócio. Muitos fornecedores podem deixar de negociar com empresas que apresentem problemas de desorganização financeira.


Além disso, você precisa calcular o REAL lucro da sua empresa. Muitos empresários confundem a receita da empresa, – que é o total de recursos financeiros apurados pela empresa em determinado período – com o lucro, que é calculado a partir da diferença entre receita e os custos da empresa, como por exemplo, seus impostos, aquisição de itens, manutenção de estoque, etc.


Uma excelente opção para o planejamento estratégico do negócio é o plano de negócios. Este plano oferece a estrutura e as informações necessárias para o andamento da empresa, como situações de mercado, orçamento necessário, planos de marketing, probabilidades de lucro, entre outros.


Em último caso, para evitar a falência, pode-se realizar um pedido de recuperação judicial. Neste caso, é essencial contar com o auxílio de um profissional especializado, uma vez que é preciso apresentar a situação patrimonial da empresa, os motivos da crise financeira e um plano detalhado de recuperação do negócio.


Agora que você viu alguns atos que podem levar a empresa a falência, se sentiu ameaçado ou tranquilo? De qualquer forma, não deixe de se planejar, para que o seu negócio seja sempre próspero. No entanto, se precisar conte conosco, nós podemos te ajudar.

8 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page